7 iniciativas que buscam fortalecer as mulheres em todos os dias do ano
654
post-template-default,single,single-post,postid-654,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

7 iniciativas que buscam fortalecer as mulheres em todos os dias do ano

Reportagens especiais, homenagens e manifestações marcam tradicionalmente o Dia Internacional da Mulher. E é claro que a data merece ser lembrada, sobretudo pela importância da história da luta das mulheres, mas é fundamental que a discussão sobre a equidade de gênero e as ações para garantir os direitos das mulheres não se resumam somente ao dia 8 de março.

Pensando nisso, listamos algumas iniciativas que buscam promover o empoderamento das mulheres nas mais diversas áreas da sociedade e que realizam ações durante o ano todo.

1. Comunicação e marketing: Projeto Cora

Garantir que as mulheres sejam ouvidas pelos meios de comunicação como especialistas em suas áreas e não apenas no mês da mulher é um dos objetivos do Projeto Cora.

A iniciativa, criada pelas jornalistas e empresárias Clarissa Antunes e Rachel Sardinha, é um plano de comunicação e marketing voltado exclusivamente para mulheres e que visa dar voz e visibilidade na mídia a 500 empreendedoras e executivas do Brasil até 2023.

O Projeto Cora oferece serviços de assessoria de imprensa e marketing, fortalecendo a imagem da assessorada na mídia, estabelecendo redes de divulgação e criando estratégias de marketing digital para construir autoridade e relevância na internet.

Saiba mais: Projeto Cora

2. Política: Mulheres na Política

A meta do projeto “Mulheres na Política”, criado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, é promover um maior engajamento feminino, destacando a importância de sua presença na política brasileira para a garantia da democracia e do direito à igualdade.

Uma das vozes ativas do projeto é a advogada e ex-juíza do TRE/SC Ana Cristina Blasi, que ministra palestras pelo Brasil abordando questões como a das “candidatas-laranja”, o voto consciente e a representatividade feminina na política. A atuação à frente da campanha “Mulheres na Política: elas podem, o país precisa”, rendeu à advogada o Diploma Mulher Cidadã Carlota Pereira Queirós, promovido pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados.

Atualmente, em uma parceria com Annalisa Blando Dal Zotto, o Grupo Mulheres do Brasil e a organização Politize, Ana Blasi participa da produção do documentário Política:  substantivo feminino que busca conhecer as dificuldades das candidatas eleitas e não eleitas nas últimas eleições.

Saiba mais: Mulheres na Política

3. Incentivo profissional para meninas: Inspiring Girls

Fundada na Inglaterra e com atuação em outros países, a Inspiring Girls é uma organização que busca despertar o interesse profissional das meninas por áreas profissionais que ainda são consideradas “mais masculinas”. A ideia, aliás, é justamente combater os estereótipos que fazem com que as meninas descartem carreiras em tecnologia e engenharia.

Para isso, a Inspiring Girls promove encontros entre estudantes de 10 a 15 anos e mulheres que atuam em cargos de gestão, para que as meninas possam tirar dúvidas e conhecer mais sobre profissões que, na maioria das vezes, jamais pensariam em seguir.

No Brasil, a Inspiring Girls conta com sede em Florianópolis (RS) e embaixadoras em São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

Saiba mais: Inspiring Girls

4. Direitos humanos: ONU Mulheres

A ONU Mulheres, criada em 2010, tem sede em Nova York e escritórios regionais e em países da África, Américas, Ásia e Europa. No Brasil, o escritório opera em Brasília.

A ONU Mulheres atua em parceria com a sociedade civil, os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, universidades, empresas e o sistema das Nações Unidas na defesa dos direitos humanos das mulheres, especialmente pelo apoio a articulações e movimentos de mulheres, entre mulheres negras, indígenas, jovens, trabalhadoras domésticas e trabalhadoras rurais. A participação política das mulheres, o empoderamento econômico, o fim da violência, a paz e a segurança estão entre as áreas prioritárias da instituição.

Saiba mais: ONU Mulheres

5. Reconhecimento: Prêmio ACIF Mulheres que Fazem a Diferença

O prêmio é uma iniciativa da ACIF Mulher – Núcleo Multissetorial da Mulher Empresária da ACIF (Associação Comercial e Industrial de Florianópolis) que busca reconhecer cases de sucesso de mulheres que empreendem em diferentes setores (Negócios, Cultura, Terceiro Setor, Educação, Esportes e como Digital Influencer), de forma que essas histórias possam inspirar outras mulheres a também fazer a diferença no meio em que atuam.

O Prêmio é realizado a cada dois anos, e a próxima premiação está marcada para 28 de março de 2019.

Saiba mais: Prêmio Mulheres que Fazem a Diferença

6. Esporte: Empodera: Transformação Social pelo Esporte

Com base no Rio de Janeiro e atuação nacional, a Empodera: Transformação Social pelo Esporte utiliza o esporte para promover o empoderamento de meninas e jovens mulheres, e reduzir estereótipos de gênero.

A organização trabalha no desenvolvimento e execução de metodologias esportivas, treinamentos e suporte técnico de organizações que trabalham pela equidade e pela garantia dos direitos de meninas e mulheres.

Saiba mais: Empodera

7. Apoio à vítimas de violência: Mapa do Acolhimento

O Mapa do Acolhimento é uma plataforma que conecta mulheres que sofreram algum tipo de violência a uma rede de terapeutas e advogadas dispostas a ajudá-las de forma voluntária. Na plataforma, é possível que tanto quem precisa de ajuda, quanto quem deseja ser voluntário, faça o seu cadastro. A equipe do Mapa do Acolhimento encontra a melhor combinação e encaminha o atendimento.

Além disso, a plataforma também traz informações sobre direitos, como o serviço Ligue 180 e a Lei Maria da Penha.

Saiba mais: Mapa do Acolhimento

Bônus: Memoh

A busca pela equidade entre gêneros não é – nem deve ser – uma preocupação exclusiva das mulheres. Por isso, incluímos nesta lista o projeto Memoh, uma iniciativa criada no Rio de Janeiro que reúne homens para debater comportamentos machistas, violência contra a mulher e equidade. O projeto promove encontros com temas relacionados à masculinidade tóxica propostos a partir de questionamentos dos participantes.

Saiba mais: Memoh

E se você conhece mais alguma iniciativa que busca promover os direitos das mulheres e a equidade de gênero, compartilhe com a gente!

No Comments

Post A Comment